Via Gamer
Olá, bem-vindo a Via Gamer. Só aqui você encontrar as melhores dicas, análises, detonados, notícias e muito mais. Deseja se conectar ou registrar agora?


Notícias, Análises, Detonados, Dicas e Muito Mias.
 
PortalInícioBuscarGruposRegistrar-seLogin
Sejam Bem-Vindos! E leia as Regras, para ficar informado sobre a Via Gamer
Fique por dentro do que acontece no mundo game com nossas Notícias

Compartilhe | 
 

 'Nunca sonhei estar em game', diz Junior Cigano sobre jogo de luta

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
marzotto
Administrador
Administrador


Mensagens : 145
Créditos : 399
Reputação : 39
Data de inscrição : 25/05/2011
Idade : 22
Localização : SAO PAULO

MensagemAssunto: 'Nunca sonhei estar em game', diz Junior Cigano sobre jogo de luta   Qua Fev 15, 2012 9:37 am

Lutador de Mixed Martial Arts lançou 'UFC Undisputed 3' em São Paulo.
Game chega às lojas brasileiras nesta terça-feira (14) por R$ 180.





“Nunca me imaginei sendo um personagem de videogame”, disse o lutador brasileiro de Artes Marciais Mistas (MMA em inglês) Junior “Cigano” dos Santos durante evento de lançamento do game “UFC Undisputed 3”, realizado na cidade de São Paulo. O jogo, que chega às lojas do país nesta terça-feira (14), mostra as lutas do esporte é distribuído pela Arvato Games e tem versões para PlayStation 3 e Xbox 360 e custa R$ 180.

Estar no game é o sonho de outro lutador, José Aldo, campeão do último UFC Rio. Perguntado se ele poderia usar o jogo para estudar o adversário, ele disse “que ainda era cedo para saber” pois não tinha jogado o título. “Uma coisa é no videogame e outra é na vida real. Por mais realista que o jogo esteja hoje, estava acostumado a jogar com os gráficos feios de antigamente, ele não é igual a entrar em um ringue de verdade".

Para Rousimar Palhares, o Toquinho, a ficha de estar no game ainda não caiu. “De onde eu vim e fui criado, não tenho nem palavras para descrever. É muito bacana estar no jogo”. Os três estão entre os 19 brasileiros de um total de 150 lutadores do “UFC Undisputed 3”, game que a produtora THQ diz que pode representar 70% das vendas da empresa na América Latina. O Brasil é o principal mercado.

O título para o Xbox 360 é o primeiro da THQ a ser fabricado no Brasil, o que, segundo Paola Rodriguez, gerente de marketing da produtora, fez com que o jogo fosse lançado simultaneamente com o resto do mundo. Ele também está totalmente em português. O preço de R$ 180, contudo, ainda é o mesmo de um jogo importado. “[O preço] é uma decisão corporativa para o lançamento. Podemos reduzi-lo no futuro”, disse a executiva.



Buscando o realismo
O produtor de “UFC Undisputed”, Neven Dravinski, disse durante o lançamento do game que os lutadores brasileiros são os melhores do mundo, o que justifica ter 19 deles entre os 150 do game. Eles são Anderson Silva, Júnior Cigano, José Aldo, Rodrigo Minotauro, Gabriel Gonzaga, Lyoto Machida, Rogério Minotouro, Maurício Shogun, Thiago Silva, Demian Maia, Rousimar Palhares, Wanderlei Silva, Vitor Belfort, Paulo Thiago, Thiago Alves, Diego Nunes, Fredson Paixão, Raphael Assunção e Renan Barão.



Ele explicou que o foco do desenvolvimento do game foi buscar o realismo das lutas, tanto no visual quando nos confrontos. Para atrair um público maior, há um modo de controles simplificado, que permite a realização de golpes com poucos toques no controle. “Demos opções de controle e de jogo para que todo o tipo de jogadores possa se divertir. É possível até deixar os lutadores com características iguais, fazendo com que a luta fique equilibrada”, explica. “Já na simulação, os personagens se comportam como na vida real e poucos golpes podem levar para o nocaute”.

Dravinski disse que uma novidade é que, ao bater no adversário, quem dá o golpe pode acabar se machucando, levando ao nocaute técnico. “Isso já aconteceu em lutas reais e colocamos dentro do jogo”. Ao tentar uma finalização, aparece uma opção na tela que parece uma perseguição. O jogador precisa “caçar” o ícone do adversário tanto para conseguir a finalização ou para escapar dela.
Campeonato Pride está no game
O Pride, categoria japonesa de MMA que foi comprada pelo UFC, está no jogo. “O legal é poder jogar com lutadores que nunca participaram do Pride antes”, diz Dravinski. Nesta competição, as regras são menos rígidas e o lutador pode dar chutes contra a cabeça do adversário. “É como se fosse um outro game dentro de ´UFC Undisputed´”.
José Aldo, que disse já ter lutado no Pride, disse que sente falta destes golpes mais violentos. “Faz falta, era bom poder atacar o adversário desta maneira. Era bom poder chutar a cabeça do outro”. Ele brincou, dizendo que poderá matar a saudade no jogo.
Jogo mostra o esporte para o mundo
Para os lutadores brasileiros presentes no lançamento do jogo, “UFC Undisputed 3” poderá levar o esporte de luta para um público maior, mostrando que o que eles fazem não é apenas brigar. “É um game de luta verdadeira com lutadores reais. Os jovens poderão acompanhar a carreira de quem pratica este esporte jogando. Verão como os lutadores se comportam na vida real, o que eles passam, o quanto treinam e se dedicam”, afirma Cigano. “O exemplo que o jogo passa é este, de disciplina. Nossa carreira não é fácil”.
Para José Aldo, além de mostrar como é a carreira de um lutador do esporte, o game mostra que eles são profissionais e não estão brincando. “O jogo mostrará as regras do MMA para o mundo, popularizando ainda mais o esporte”, afirma. Toquinho acredita que os brasileiros irão gostar do game, já que o MMA é muito popular no país. “[O game] é muito importante para o reconhecimento do esporte no Brasil e no mundo”.



--------------------------------- © Via Gamer ---------------------------------


Treco Piscante

☯ Mas quanto mais a gente rala, mais a gente cresce ☯
Voltar ao Topo Ir em baixo
 

'Nunca sonhei estar em game', diz Junior Cigano sobre jogo de luta

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Via Gamer :: Central :: Noticias do Mundo dos Games-